Associação entre contracepção hormonal e depressão

CharlotteWessel Skovlund, MSc;

Lina Steinrud Mørch, PhD;

Lars Vedel Kessing, MD, DMSc;

Øjvind Lidegaard, MD, DMSc

 

IMPORTÂNCIA - Milhões de mulheres em todo o mundo utilizam a contracepção hormonal. Apesar da evidência da influência da contracepção hormonal no humor de algumas mulheres, as associações entre o uso de contracepção hormonal e os distúrbios de humor permanecem inadequadamente direcionadas.

 

OBJETIVO - Investigar se o uso da contracepção hormonal está positivamente associado com o uso subsequente de antidepressivos e ao diagnóstico de depressão num atendimento psiquiátrico.

 

DESIGN, AJUSTE E PARTICIPANTES - Este é um estudo prospectivo nacional de corte combinado do Registro Nacional de Prescrição e do Registro Central de Pesquisa Psiquiátrica da Dinamarca. Todas as mulheres e adolescentes de 15 a 34 anos que viviam na Dinamarca foram acompanhadas a partir de 1 de Janeiro de 2000, até Dezembro de 2013, se não tivessem sido anteriormente diagnosticadas com depressão maior, tido alta de prescrição de antidepressivos, outro grande diagnóstico psiquiátrico, câncer, trombose venosa, ou tratamento de infertilidade. Os dados foram recolhidos a partir de 1 de Janeiro de 1995 até 31 de dezembro de 2013, e analisado a partir de 1º de janeiro de 2015 até 1º de abril de 2016.

 

EXPOSIÇÃO -  Uso de diferentes tipos de contracepção hormonal.

 

PRINCIPAIS RESULTADOS E MEDIDAS - Com covariáveis ​​que variam em função do tempo, taxas de incidência ajustadas (TIA) foram calculadas para o primeiro uso de um antidepressivo e o primeiro diagnóstico de depressão num atendimento psiquiátrico.

 

RESULTADOS - Um total de 1.061.997 mulheres (idade média [SD] 24,4 [0,001] anos, seguimento médio [SD]  6,4 [0,004] anos) foram incluídas na análise. Em comparação com as não usuárias, as usuárias dos contraceptivos orais combinados tinham um RR de primeira utilização de um antidepressivo de 1,23 (IC 95% 1,22-1,25). As usuárias de pílulas só de progestagênio tinham um RR para o primeiro uso de um antidepressivo de 1,34 (IC 95%, 1,27-1,40); Utilizadores de um adesivo (norelgestromina), 2,0 (IC 95%, 1,76-2,18); Usuárias de um anel vaginal (etonogestrel), 1,6 (IC 95%, 1,55-1,69); e usuárias de um DIU de levonorgestrel, 1,4 (IC 95%, 1,31-1,42). Para os diagnósticos de depressão, estimativas semelhantes foram encontradas. Os riscos relativos geralmente diminuem com o aumento da idade. Adolescentes (faixa etária, 15-19 anos) usando contraceptivos orais combinados tiveram um RR de um primeiro uso de um antidepressivo de 1,8 (IC 95%, 1,75-1,84) e aqueles que usam pílulas só de progestagênio, 2,2 (IC 95%, 1,99-2,52). Seis meses após o início do uso de contraceptivos hormonais, o RR do uso de antidepressivos 1,4 (IC95%, 1,34-1,46). Quando o grupo de referência foi mudado para aqueles que nunca usaram contraceptivos hormonais, as estimativas de RR para os usuários de contraceptivos orais combinados aumentou para 1,7 (IC 95%, 1,66-1,71).

 

CONCLUSÕES E RELEVÂNCIA - O uso da contracepção hormonal, especialmente entre adolescentes, foi associado ao uso subsequente de antidepressivos e a um primeiro diagnóstico de depressão, sugerindo a depressão como um potencial efeito adverso do uso de anticoncepcionais hormonais.

 

Publicado em Bulletin of WOOMB International Ltd.

Vol 43, No 3, November 2016, ISSN 2202-7599

JAMA Psiquiatria. Doi: 10.1001 / jamapsychiatry.2016.2387

Publicado on-line em 28 de setembro de 2016.

http://archpsyc.jamanetwork.com/

Sede Nacional

Av. Bernardino de Campos, 110 cj.12
São Paulo, SP 04004-040
Tel: 11-3889-8800
Email: cenplafamwoombbrasil@gmail.com

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon