Direção espiritual para Instrutores do Método de Ovulação Billings®

O texto a seguir foi escrito pelo Padre Joseph Hattie, OMI para orientação espiritual dos instrutores do MOB, (artigo original em inglês www.boma-usa.org - julho 2012 pág. 3-4) pela profundidade do conteúdo, consideramos ser rico e atual.

  

“Queridos instrutores, vocês são chamados a uma tarefa humilde, porém, grandiosa. Mesmo em um nível básico, este trabalho é muito importante para o futuro da raça humana, de modo tal que no futuro a humanidade possa ser acolhida, assim como é de suma importância para a salvação das almas, para a Igreja e para o futuro do casamento e a família.

Anos de experiência me ensinaram que a tarefa à qual vocês foram chamados é tão vital que o demônio os tentará para não perseverar nela. É o que poderíamos chamar um “elogio ambíguo”. Deixa-me explicar-lhes a natureza da tentação do demônio:

Sabemos que o demônio é muito inteligente e, portanto, tratará de desviá-los desta tarefa, não os tentando a realizar más ações, mas para fazer coisas boas, a fazer mais e mais coisas boas. Por quê?

Devido a terem sido treinados para realizar um trabalho especial e importante para as mulheres, casais, família e sociedade, muito frequentemente, vocês serão os únicos preparados para fazer esse bem particular em suas paróquias, cidades ou regiões. O diabo não quer que o bem que só vocês são capazes de fazer, se concretize. De maneira que quando retornam a suas casas para começar a oferecer seus serviços na comunidade local, podem esperar que lhes peçam gradualmente que realizem outras tarefas boas e importantes. Ali é quando o demônio os tentará a dizer, “Sim”.

Gradualmente, os levará a estar muito ocupados realizando muitas tarefas que outros poderiam fazer e vocês estarão tão envolvidos e sobrecarregados de modo que não terão tempo ou energia para esse bem tão importante e particular ao que foram chamados e para o qual foram treinados. Eu os advirto para que estejam alerta a esta tentação, e estejam preparados para dizer amavelmente: “Obrigado, porém não posso, obrigado” aos pedidos por parte de outros membros da comunidade ou paróquia para fazer trabalhos adicionais fora de sua responsabilidade específica.

Como podem negar de um modo amável e caridoso? Aqui há alguns exemplos de como alguns instrutores mais experientes aprenderam a fazê-lo:

Se te pedem para ajudar no catecismo de adultos, podes dizer, “Não posso agora, porém, posso ensinar o MOB no tema destinado a moral”. Se te solicitaram trabalhar nos Encontros de Casais ou num fim de semana para preparação matrimonial e familiar, no lugar disso, ofereça teus serviços para ensinar só a parte de PNF. Se te pedem para ajudar no curso para Batismo, ofereça para ensinar aos casais o MOB. Mais que organizar o grupo de mães, vá uma vez para socializar-se, se desejam, porem ofereça-se para ensinar o MOB como seu apostolado particular e sua contribuição para o bem do grupo. Se lhes pedem para serem voluntários no conselho escolar local, restrinjam sua participação sugerindo a possibilidade de ensinar PNF a outros membros, até mesmo aos alunos. Em outras palavras, assim como deveriam sentir-se livres para assistir a atividades que vocês ou suas famílias consideram dignas e edificantes, também sejam prudentes ao aceitar ou agregar tarefas ou posições de coordenação fora dos temas nos que são especialistas.

Estejam atentos ao fato de que nossa cultura nos encoraja a ser hiperativos, frequentemente é considerado como um distintivo de êxito ou de honra. Porém se aderimos a cultura e baseamos nosso valor como pessoas segundo quantas coisas boas realizamos, então podemos cair no que o Papa Bento XVI chama “a escravidão da atividade”. Ironicamente, esta ênfase em demasiados compromissos, ainda quando se trate de coisas boas, se converte numa escravidão que, com frequência, nos dificulta fazer à vontade Deus. Assim o bom se torna um obstáculo para o melhor.

Se não resistem à tentação, não terão tempo para manter o ritmo de estudo continuo leituras, exames, ensino e promoção do MOB. Tenho detectado que há uma maior necessidade de alertar sobre esta tentação aos instrutores novos que vivem nas regiões onde há pouca gente que vem para aprender o Método. Em tais circunstâncias, os números pequenos podem ser desanimadores e assim uns se veem mais vulneráveis às tentações de fazer outras tarefas. Não devemos desanimar por esta realidade. No lugar disso busquem maneiras e lugares para promover o MOB.

A estrutura é uma ajuda importante para resistir tentações. Portanto, eu faria uma sugestão prática, que façam um esquema semanal para o estudo continuo, leitura, ensino ou prática supervisionada, e promoção das boas Novas do MOB em sua região. Deem prioridade real em suas vidas aos tempos planejados para essas atividades. Uma maneira simples de reforçar estas prioridades é rezar de maneira regular, pedindo coragem de ser capaz de dizer não quando é necessário. Também é necessário dedicar tempo para meditar sobre a importância que tem a tarefa na qual tenham sido treinados.

Seria sábio meditar numa dimensão por vez (seguem alguns exemplos):

As mulheres têm direito a uma compreensão mais profunda de si mesmas e da verdade do bem de terem sido criadas como mulheres a imagem e semelhança de Deus. (Ele é tão sábio). Vocês têm o conhecimento daquilo que as mulheres têm direito de saber, e estão desenvolvendo a habilidade de ensinar. Perguntem a si mesmos, “Quem os transmitirá estas Boas Novas se eu não o faço, ou se estou fazendo outra coisa?”. Sabemos certamente que o mundo não o fará.

As mulheres têm o direito de poder monitorar sua própria saúde reprodutiva. Vocês possuem o conhecimento para que o consigam. Quem lhes ajudará a realizar se vocês não o fazem ou não podem porque estão demasiado ocupados?  Disto o mundo não se ocupará.

As mulheres têm direito a plasmar o mistério que Deus criou nelas. Quem as ajudará a entender algo deste mistério, que se revela em seu dom de receptividade e hospitalidade que se reflete em sua capacidade reprodutiva? Se vocês não o explicam, o mundo não o explicará…

Os esposos têm direito a viver de acordo a Lei Natural. Vocês têm o conhecimento e a habilidade de auxiliá-los a viver desse modo.    Quem fará esta tarefa se vocês não o fazem? Podemos ter a certeza que o mundo não lhes ensinará isto, porque o diabo não quer que saibam qual é a vontade de Deus neste aspeto tão importante de suas vidas.

Os maridos têm direito a entender melhor a suas mulheres de modo que possam amá-las com um respeito mais profundo frente a sua dignidade de mulher. Vocês têm o conhecimento e a habilidade de mostrar-lhes a verdade que os fará livres, para aprofundar seu amor por suas esposas e filhos. Quem fará isto se vocês não fizerem, ou estão demasiado ocupados com outras tarefas para fazer? Sabemos que o mundo não o ensinará.

Os pais têm direito a receber a ajuda que necessitam para serem os primeiros educadores de seus filhos sobre como “os bebês vem da sementinha” segundo a etapa que atravessa cada criança. Vocês têm o conhecimento e a habilidade de instruir aos pais sobre a beleza do dom da fertilidade e o que significa a boa administração deste dom. Quem ensinará aos pais se vocês não o fazem, ou estão demasiado ocupados com outras coisas boas? Sabemos que o mundo não o ensinará e o demônio não quer que mostrem estas verdades às crianças.

Os casais têm o direito e a profunda necessidade de realizar “o dom sincero e total de si mesmos” através do amor conjugal. Vocês têm o conhecimento e a habilidade de mostrar-lhes a verdade sobre eles mesmos como homem e mulher, que os fará capazes desse “sincero dom de si”. Se não realizam isto, temos a certeza que o mundo não se encarregará.

Paciência! Qualquer grande trabalho requer de paciência para poder completá-lo, temos que aprender a ser pacientes. Neste caso, devem aprender a ser pacientes com vocês mesmos, e com Deus, que está trabalhando nos corações de suas futuras usuárias, para que venham a vocês em Seu tempo. Esta paciência também deve estender-se a suas usuárias, enquanto elas lutam para aceitar o bem que Deus realiza em suas vidas, enquanto estão aprendendo a reconhecer e resistir ao bem aparente que o diabo pretende fazer por elas.

Em conclusão, recordem: foram chamados e treinados para uma tarefa muito importante. Necessitarão de humildade para lidar, porque o mundo não os aplaudirá como heróis. Necessitarão de oração e discernimento para evitar as tentações para fazer o bem que tantos outros podem fazer, já que fazendo se dificultaria conseguir desse grandioso bem para o que só vocês têm sido preparados.

Deus vos abençoe.”

Sede Nacional

Av. Bernardino de Campos, 110 cj.12
São Paulo, SP 04004-040
Tel: 11-3889-8800
Email: cenplafamwoombbrasil@gmail.com

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon