Testemunho Daniela e Ricardo Gomes

Por ter conhecido a Deus e lutar dia a dia para seguir Seu caminho, hoje estou viva e minha família renovada. Em 2007, entramos para o projeto família do céu aqui na terra da Comunidade Luz da Vida, e lá, através da instrutora Claudia, de GOIÂNIA GO, fomos apresentados ao Método de Ovulação Billings. Ali já nos encantamos e começamos a vivê lo. Primeiramente com o objetivo de espaçarmos as gestações, visto que tínhamos nossa filha Laura que na época estava com 1 ano e meio. Devido ao desejo de termos mais filhos e a estarmos abertos à vida, começamos a utilizar o método Billings para conseguirmos uma nova gestação.

 

A cada ciclo era uma espera de uma nova vida gerada, porém isto não acontecia; poderíamos seguir dois caminhos: o da tristeza, o da revolta de não conceber ou o caminho da esperança que algo novo estava por vir; com a graça de Deus, escolhemos a esperança que sempre era renovada. Em 2009 estivemos na Canção Nova com as australianas Marian e Marie e nos graduamos como instrutores. A esta altura, eu já conhecia meu corpo e os sinais de fertilidade e infertilidade que ele nos mostra durante nosso ciclo menstrual.

 

É importante relatar que o Método de Ovulação Billings está baseado na auto observação do corpo da mulher fazendo com que esta conheça se o seu aparelho reprodutor está saudável ou não, assim qualquer alteração da normalidade será percebida por ela. Percebi que havia algo de errado no meu ciclo, pois não estava ovulando e procurei um médico para investigar o que era. Após alguns exames, verificou-se que minhas trompas uterinas estavam obstruídas e o médico me indicou a inseminação artificial, pois seria muito difícil

desobstruí-las. Eu e meu esposo fomos firmes e decididos em não querer, pois pela nossa Fé, queríamos que fosse natural e descobrir o que poderia estar obstruindo minhas trompas. Com a cirurgia para desobstrução das trompas, descobrimos que eu tinha um tumor de ovário e que este tumor era malígno. A notícia de um câncer nos tira o chão: sofremos, choramos e, por muitas vezes, tivemos medo e incertezas. Observava o sofrimento e o medo de todos que estavam em minha volta. Olhava nos olhos de cada um deles e via o olhar de Jesus para mim e compreendia o quanto era importante eu lutar contra esta doença terrível e continuar a viver para cumprir minha missão de viver o céu aqui na terra. Fui para a cirurgia de remoção do tumor em dezembro de 2009 com a esperança de tirar apenas um ovário e uma trompa doentes, porém o tumor já estava espalhado por todo meu aparelho reprodutor, e com isto saí da cirurgia estéril e com sonho de gerar mais filhos destruído, porém acima de tudo, eu estava viva para meu esposo, para minha filha, meus familiares e amigos, enfim, para todos que me amam. Por muitas vezes desanimei, mas no mesmo instante, uma força maior me levantava e fazia com que o câncer não tomasse conta de mim e tirasse minha alegria de viver.

 

Durante a quimioterapia, óh Senhor… por quantas vezes no hospital eu clamava para que Ele derramasse teu sangue precioso sobre os medicamentos e viesse curar a mim e a todos que estavam lá. Clamava pedindo força para suportar todos os efeitos colaterais que por ventura viriam sobre nós. Já no primeiro ciclo, proclamando que Jesus Cristo é o Senhor da minha vida, raspei meu cabelo com a certeza da vitória e tomei posse da minha cura. Foram seis meses de quimioterapia que não me fizeram abandonar as missões que Deus tinha para mim, pelo contrário, era só eu parar de vomitar e lá estava eu servindo ao senhor, e quem mais se beneficiava disto era eu mesma, pois minhas forças eram renovadas cada vez que eu conseguia ajudar alguém ou cumprir com cada missão à mim designada. Enquanto muitos achavam que eu estava precisando de ajuda, era eu que estava levando força para as outras pessoas. Com isso, Deus me mostrava que eu estava mais viva do nunca e que os momentos de sofrimento iriam passar como todos os outros tipos de sofrimentos que passamos no decorrer de nossas vidas. O que realmente importa é como vamos passar por eles, de que maneira nos relacionaremos com as pessoas e com Deus durante os momentos difíceis. Aprendi a louvar a Deus até mesmo nas dificuldades e, com isso, posso testemunhar que tudo concorre para o bem daqueles que O amam. Um mês após o término de minha última sessão de quimioterapia, Deus já me dava meu segundo filho, que veio me ensinar o verdadeiro Amor, o amor incondicional, que não espera nada em troca, o amor Ágape. No mesmo ano e mesmo mês que eu fui para a cirurgia, nosso filho nasceu, prematuro extremo, muito frágil e debilitado; e ao mesmo tempo que eu lutava para viver ele também lutava, passou por várias vezes em U.T.I. com enfermidades graves, foi guerreiro e vitorioso para que um dia pudéssemos nos encontrar e partilhar nossa história de vida. Quando nosso filho chegou, ficamos anestesiados e perguntávamos: Meu Deus, que amor é esse? Nosso coração não cabia dentro de nós, a nossa filha, mesmo pequena com quase 4 anos, olhava para ele e chorava dizendo que já o amava. O sonho dela e o nosso estava sendo reavivado naquele momento. Hoje posso afirmar que esta enfermidade não veio para a morte, que nenhuma enfermidade vêm para a morte, mas sim para a Glória de Deus, basta estarmos abertos à vida, ao amor e à vontade de Dele. Meu Deus, que amor é esse!
Atualmente vivemos o método de Billings por amor. Podemos instruir os casais a gerar novas vidas ou espaçar os nascimentos. No entanto, o nosso maior chamado estar em mostrar para os casais que o método de ovulação Billings pode e deve ser usado de diagnóstico para possíveis doenças no aparelho reprodutor masculino e feminino.

Daniela

Projeto Família do Céu aqui na Terra
Nome : Daniela de Velasco Lino Gomes
Esposo: Ricardo Ghilardi Gomes
Filhos: Laura e João Vitor
Casados há 12 anos
Instrutores MOB há 6 anos

Sede Nacional

Av. Bernardino de Campos, 110 cj.12
São Paulo, SP 04004-040
Tel: 11-3889-8800
Email: cenplafamwoombbrasil@gmail.com

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon